Ofertando-me (Bela Síol)

27 nov

Meu coração…

Entrego de bandeja,

Com o mesmo vigor,

Do sangue quente,

Que flui em meu corpo.

Meus seios…

Dou em oferenda,

Aos seus lábios,

Que sussurram palavras,

Que se perdem entre gemidos.

Meu corpo…

Ofereço sem medo,

Para que explores sedento,

E me tires a razão.

Meu prazer…

Eu guardo em concha,

Para que abras,

E desvendes um oceano infinito.

Minha alma…

Ah minha alma!

Guardo pra mim,

Porque quando dominas meu corpo,

Minh’alma é tudo o que resta.

 

Bela Síol 27/11/2011

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: