Brinde ao gelo

16 maio

 

Podes destilar suas maldades.

Adoro destilados com duas pedras de gelo,

Ouvindo um blues ou mesmo samba,

Sentindo o líquido quente descendo a garganta,

Suavizando minhas mágoas,

Enquanto você engole o gelo do meu desprezo,

Sentindo a alma resfriar,

Nas tuas próprias maldades,

Enquanto brindo ao teu passeio,

Pelo árido e frio inferno,

Que constrói com seus sentimentos.

Frieza, tremores é o que provas,

Na taça amarga de tuas mentiras.

O gelo te protege de mostrar quem és,

Mas também lhe aprisiona a alma.

Tim tim à avalanche que vem desmascarar  a verdade!

 

Bela Síol 16/05/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: