Que se foda! (Bela Síol)

16 maio

Não queira medir a minha dor,
Nem subestimar minha perda,
Se fazendo de fortaleza,
Quando não esteve em minha pele,
Nem conteve minhas lágrimas,
Que correram como gotas de chuva,
Na vidraça da tarde fria.
Não tente minimizar meu desespero,
Nem justificar meu sofrimento,
Por tua omissão e covardia.
Sei o que senti e ainda sinto,
E tua indiferença só imprimiu,
Mais aperto no meu peito.
Que digas o que quiseres por aí!
Que só você tem a razão!
Ou que sou fraca, carente, impulsiva…
Que se foda o que dizes e pensas!
Que se foda tua insensata opinião!
Já sem importância para mim.
Sou Eu sem máscaras,
Nua diante do espelho.
Me desvencilhando da tua sombra,
Aprendendo a viver por mim mesma.
E sem o eco de tua voz a cada manhã,
Sem os trapos de suas mentiras,
Que vesti durante algum tempo.

Bela Síol 15/05/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: