Impróprio (Daphne Brito)

20 ago

– cerveja, sal e limão – eu te disse
os copos cheios, brandidos estalam
sorrisos em formas de convite
e ao sabor do amargo, o corpo liberta o riso, a fome de vida.

os tons e matizes da luz local se misturam á tua figura,
o zigue-zague do embriagar, uma mistura mística de ousadia e curiosidade
Vento que agita face e cabelos, calor que surge no frio.
cheiro da proximidade do intuito inadequado.
Torpor…

Bailam palavras torpes, engolidas ao sabor da mentira.
Garganta presa na impáfia de resistir ao molejo do corpo enquanto os lábios vagam entre risos.
Desperta a ira do inerte, o desprezo pelo inconstante…

fazem-se apostas.
pernas firmes, peito ofegante.arrepio que insiste em agitar a alma.
Do Teu discurso fulgás mas ainda impróprio,palavras que si não dizem nada,[mas que revelam muito nas reticências]
a lingua saliva o desejo (in)contido, silenciado ao grito dos olhos.

A mente cria imagens, lembranças do não acontecido, desejo saciado, vivido e revivido apenas na mente.
oculto no suspiro.

apagaram-se as luzes.
O bar fechou, a bebida acabou, e os passos se vão em direção á noite que fecha suas portas..

Adeus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: