O bailado da loucura (Daphne Brito)

20 ago


Passos que não foram à lugar algum…
Pés que caminharam sem nunca chegar
os valores de antes se desfizeram em pó diante dos olhos
e o que tanto sabia, hoje não sabe nada.

A fé que parecia tão firme
viu perder seus alicerces, desmoronando como se fossem de papel
não adiantaram as jornadas no ontem. perdeu-se o tino da empreitada.

Debateu-se em tudo que tinha para não aceitar o fato:
era ser vivo, cheio de morte.
Cego, pobre,desesperado
e nada tinha.

Se expos, arranhou paredes, esgatanhou o proprio ser
Gritou em busca de ar, e não veio

Nenhum dom se mostrou util;
no derradeiro dia, bailou com a loucura
fechou os olhos, viu o mundo girar.

E quando parou sem forças
já cheio de dor
Achou que a alma estava sem vida e pediu pela morte (que parecia) iminente.
Ela não veio.

ouviu alguém dizer: “Sentes dor? então teu espirito permanece vivo.”
Olhou para o céu e pediu perdão.
Na terra ele pediu ajuda
levantou-se do chão e caminhou em direção à cura.

 

(Daphne Brito 20/08/2012)

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: