A fenda do tempo (Bela Síol)

24 ago

De repente tudo parou,
Brisa fria passou,
Uma fenda no tempo se abriu.
E diante de mim,

Em tempos distantes,
Nossa história se fez.
Você o jovem guerreiro,
Eu a donzela indomada.
Amor que atravessa o tempo.
Agora, a fenda do tempo se fecha,
O oráculo anuncia sua chegada.
Ainda sou a indomada,
E você meu jovem guerreiro.
Com meus lábios honro teu nome,
Em meu coração te acolho,
Amor que tardou a chegar,
E chegou sendo bem vindo.
Que os astros predigam felicidade,
Que as estrelas teçam nosso futuro,
Com fios de eternidade.

Bela Síol 23/08/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: