Juras e quebramentos (Bela Síol)

25 set

Jurei que não mais procuraria você,
E que sufocaria em mim,
A vontade de estar em seus braços.

Jurei esquecer o seu cheiro,
Apagar da minha boca o gosto da sua,
E esquecer cada beijo.
Me desculpe por ser impulsiva,
E jurar o que não posso cumprir!
Mas, o que seria das juras,
Se não fossem quebradas?
Juramos há muito tempo,
No calor da paixão, o amor eterno.
E foi o mesmo tempo,
Testemunha de nosso voto,
O responsável pelo não cumprimento.
Juras são vítimas da vontade ou do destino,
E como não sei esperar pelo acaso,
Darei o primeiro passo a descumprir,
A jura que fiz de me manter afastada,
E me jogarei de novo em teus braços,
Pois não tenho mais forças,
De fugir do que é mais forte que eu.

Bela Síol 24/09/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: