A morte do amor (Bela Síol)

30 set

Não vou deixar você entrar,
De novo em minha vida,
Pra fazer outra bagunça,

No que consegui arrumar,
Quando da sua partida.
Nem fez falta a despedida.
Resta o silêncio da tua ausência,
E o vazio ecoando na sala,
Esse espaço que preencherei ,
Com muitas lágrimas,
E com a imensidão,
Que me toma o peito.
É! Parece não ter mais jeito,
De tentar consertar,
Pois não restou lugar,
Pra mais um remendo.
Aquilo que já foi amor,
Hoje é um monte de retalhos,
E o tempo levou os detalhes,
Que nos mantinha encantados.
Não sobrou quase nada,
E esse pouco ainda é dolorido.
Por isso não tem mais sentido,
Lutar pelo que pereceu.

Bela Síol 29/09/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: