A eleitora (Bela Síol)

3 nov


Vestido com decote irresistível,
Voluptuoso nas curvas,
Nada vulgar, tudo fatal.
A boca carnuda na cor prefeita,

Olhos realçados com rímel e malícia.
Salto alto e fino pra elevar o espírito,
Cabelos displicentemente jogados,
Emoldurando o largo sorriso.
Perfume exalando do bronze da pele,
Suave veneno, andar sensual.
Os gestos, o olhar que provocam,
Arrepios e pausado suspirar,
Naqueles que a admiram.
Quantos sonham em tê-la?
Pobres!
Não sabem que ela basta a si mesma,
E somente os criteriosamente eleitos,
Sem que ela diga nada a respeito,
Merecerão, teus mistérios adentrar.

Bela Síol 01/11/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: