Cura (Bela Síol)

3 mar

cura
A ferida sangra,
Sem bálsamo,
Arde e consome o ser.
A dor dilacera a carne,
Não há cicatriz imediata.
A cura demora,
O tempo exato da lição.
E se não aprender,
A ferida aumenta.
A dor se espalha,
A ferida apodrece,
Forçando a reflexão.

Bela Síol 21/04/2017

Anúncios

Recortes (Bela Síol)

3 mar

recortes

Qualquer pessoa é a soma de muitos pedaços, o acúmulo de muitas camadas. Se julgamos alguém simplesmente por um ou alguns atos, gestos, expressões, ou pela opinião de outrem, temos grandes chances de estarmos sendo levianos. Nós somos luz e sombra e refletimos o momento. É fácil amar o sorriso e a gentileza e crucificar a honestidade e a explosão. Mais fácil ainda julgar um estranho pelo que um conhecido nos conta sobre o estranho. Outro dia saí em defesa de um estranho que não merecia, me envergonhei e me arrependi, mas aprendi a lição sobre ir além da superfície e ouvir os dois lados da história, antes de qualquer posicionamento. Também um outro dia, fui criticada e julgada por alguém que sequer me conhece! A lição? A pessoa só conhece a minha casca!!! Talvez pudesse se encantar com meu conteúdo ou talvez, me odiar de verdade pra sempre, mas pelo menos com razão. Num mundo de efemeridades absurdas, o que vale é o descartável e isso tem se aplicado principalmente a sentimentos. Meus amores e ódios são profundos como os motivos que me levaram a eles, não apenas arranhões sobre a pele tênue da aparência.

Bela Síol

Prayer to the Sea / Oração ao Mar (Bela Síol)

3 mar

sea
Pray to the Sea

Great cradle of life,
Womb of the Earth,
May your wisdom,
Wet my feet,
When I walk on the beach,
Or through life, looking for answers.
Protect me from shallow people,
Get me out of deep trouble!
May blow favorable winds!
May every low tide takes away the unnecessary,
And every high tide fills me with thy power.
May the currents be of love,
And the storm brings purification and healing.
May I be the firm rock to be shaped by water,
But also be water circumventing the obstacles.
May my emotions be fluid and crystalline,
And the tears that flow in mine eyes,
Be the reminder of your presence within me.

Oração ao mar

Grande berço da vida,
Útero da Terra,
Que tua sabedoria,
Me molhe os pés,
Quando eu caminhar na praia,
E na vida, buscando respostas.
Protegei-me de gente rasa,
Livrai-me de problemas profundos!
Que soprem ventos favoráveis!
Que cada maré baixa leve embora o desnecessário,
E que cada maré cheia, me nutra com o teu poder.
Que as correntes sejam de amor,
E a tempestade traga purificação e cura.
Que eu seja a rocha firme a ser moldada pela água,
Mas que eu também seja água a contornar obstáculos.
Que minhas emoções sejam fluidas e cristalinas,
E porventura, as lágrimas que transbordarem em meus olhos,
Sejam a lembrança de sua presença dentro de mim.

Bela Síol 27/07/2017

Arianrhod (Bela Síol)

3 mar

arian
Senhora das estrelas,
Das tramas perfeitas,
Que alinhava destinos.
És tecelã dos sonhos,
Fiandeira do tempo,
Arrematadora dos medos.
Donzela do crepúsculo,
Guardiã do infinito,
Deusa da fortaleza,
De fluida e etérea beleza.
Senhora dos céus,
Da verdade sem véus,
Virgem coroada de estrelas.
Deusa que em minha vida fez morada,
Senhora da noite estrelada,
Mistério do manto escuro,
Que teu poder abençoe meus passos!

Bela Síol 07/08/2017

Grande Rainha (Bela Síol)

3 mar

morrigan 2

Verdes pastos,
Que alimentam o gado,
Chão tão sagrado,
Como os campos,
Onde escorre o sangue.
No regato,
A decisão do destino,
A mesma paisagem,
Da aliança selada,
Em paixão e vitória.
Mãe provedora,
Garante os frutos,
Quando ceifa os campos.
Sábia senhora,
Brinda a morte,
Quando ceifa a vida.

Bela Síol 04/10/2017.

Cântico de Corvo (Bela Síol)

3 mar

morrigan1

Cantar a vida,
É cantar a sorte,
No destino de alguns,
Cantar a morte.

Trovar o medo,
Entoar o pranto,
Lavar a alma,
Salgado cântico.

Conclamar as trevas,
Cantar a guerra,
Incitar coragem,
Sangrando a terra.

Limpar os corpos,
Silenciar os campos,
A voz do Corvo,
Fúnebre canto.

Bela Síol 05/10/2017.

O Banquete (Bela Síol)

3 mar

22528961_359641877816242_1590136984922634505_o
A mesa farta,
O riso frouxo,
Celebra a vida,
Coroa a glória.

Nobres guerreiros,
Todos os brindam,
Ouvem-se bardos,
Cantar os feitos.

Há dança e festa,
Fartura e paz,
Tempos de trégua,
Prazo fugaz.

O campo espera,
O seu banquete,
Grito de corvo,
É o lembrete.

Banho de sangue,
Não é segredo,
Onde Elas reinam,
Fúria e medo.

Aos que tombarem,
Silêncio e morte,
Aos que ficarem,
Imensa sorte.

Bela Síol 06/10/2017